Axe in the Dark

09/09/2009

Axe in the Dark
A axe do Japão lançou um site que trabalha com aspectos dos filmes de terror com aventura e claro com um desodorante sempre presente e ajudando a salvar o dia. Tudo isso ocorre em um abiente no cinema e junto dele os filmes que estão em cartaz definem como a sua aventura irá se desencadear. Sinceramente, gosto de ações que envolvam esses elementos de interação e ao mesmo o produto em um ambiente fora do seu habitual, pois isso quebra um pouco da rotina o que facilita uma abordagem diferenciada.

Naveguem pelo site e se aventurem com o Axe in the Dark


DDB com Tsunami Das Comitee com a AIDS. Catástrofe na Publicidade

04/09/2009

Bom, o episódio da agência DDB Brasil com sua campanha para WWF quase todo mundo já deve ter visto em algum lugar.
Achando que a semana iria ter apenas esse assunto para comentar, não é que a agência Das Comitee lança uma campanha de combate a AIDS, com o título “AIDS is a mass murderer” (AIDS é um assassino em massa” foi infeliz na forma de como executar. Será que a moda pega?

Confiram as peças. (Clique na imagem para ver em tamanho maior)

Stalin

Saddam

Hitler

Aqui você confere o vídeo da campanha NSFW


Saab, Change Perspective

03/09/2009

Lí hoje no Brainsorm9 sobre essa campanha feita pela Lowe Brindfors. A agência acertou no ponto ao meu ver ao mostrar o carro de uma forma diferente de como estamos acostumados a ver em propagandas do segmento, e mesmo assim não deixaram de falar sobre os atributos do carro e ainda de quebra proporciona um algo a mais.

Assistam o comercial da campanha:

E não deixem de visitar o site da campanha, que está muito bom, pois é uma bela extensão do que o comercial mostra e ainda explora os itens do carro.

Saab


Nike – Dick’s Sporting Goods

03/09/2009

Acredito que o maior desafio hoje para qualquer pessoa envolvida na elaboração da publicidade, é fazer com que seu público se envolva com a campanha. Existem inúmeras formas de se fazer algo, para que nosso público realmente queira participar ou pelo menos ele se identificar com o produto, no momento em que se depara com alguma ação ou vê alguma peça.
Uma campanha que acredito que usa um formato agradável para se comunicar com o público é o da Nike com Dick´s Sporting Goods. Usando personagens que possívelmente sejam o próprio público e de forma controlada, resultou em um comercial muito bacana. Feito pela Wieden + Kennedy, Portland.

Confira alguns comerciais abaixo.

Hands

Pocket


Efeito dominó. Um record mundial.

03/08/2009

O efeito

Hoje em dia fica complicado para você fazer anúncios que chamem atenção do público e isso não é nenhuma novidade. Existem inúmeras ferramentas e inúmeros públicos com inúmeras mensagens. Para quem tem muita grana, tanto na publicidade como na vida, as coisas ficam digamos, mais fáceis de se conquistar ou até mesmo de gerenciar.

Mas o que acontece quando o seu recurso não está lá essas coisas e ao mesmo tempo seu cliente vende um produto que o apelo exija algo realmente convincente? A criatividade reina. É o caso desse comercial da Bensons for Beds feito por Wand de Londres, uma pequena agência independente que não tinha seu destaque pelo mundo até ter a idéia de bater o record mundial de dominó humano. E claro, ao mesmo tempo anunciar o cliente.

Caso queira ler algo mais sobre: Notícia

Caso queira conhecer a agência: http://www.wandagency.com/


Coworking, Work 2.0

12/05/2009

Cowork

Todos já estão familiarizados com a web 2.0 e todos os benefícios que ela traz, desde seu conteúdo quase todo colocado por meros mortais, simples usuários da internet, e junto das grandes, médias e pequenas empresas, que também colaboram com suas peças nesse enorme quebra-cabeça de conteúdo que acaba se encaixando e montando um gigante acervo de informações. A web 2.0 foi uma necessidade, maior por parte das empresas que já não tinham como buscar toda informação que circulava e que era perdida pela internet e mais que isso, abriu espaço e criou oportunidades para quem não tinha como mostrar seu trabalho e potencial. Até aí nenhuma novidade, incluindo a possibilidade infinita de desenvolvimento de network através das mídias sociais que possibilitaram o contato entre pessoas que nunca se viram pessoalmente.

Potencialmente a internet forneceu tudo para que uma pessoa tenha sucesso sem sair de casa, certo? Coleta de informações mais um network de pessoas ilimitado é mais que suficiente para você poder realizar muitas coisas, mas isso não é tão verdade. Com toda certeza isso ajuda muito, tanto é que o número de pessoas que realizam trabalhos de freela já é considerável, pois em casa  com uma conexão de internet e um computador o limite é apenas o que a pessoa consegue ver.

O problema de trabalhar em casa, além da grande quantidade de oportunidades para a distração, como no meu caso, é a falta de contato pessoal com as pessoas, é claro. O Coworking é uma tendência que existe hà algum tempo e na minha opinião é um velho sonho que hoje existe, e que veio transportar o conceito de web 2.0 para o work 2.0, ou seja, empresas de coworking oferecem a estrutura e os usuários é quem alimentam com seus trabalhos.

O coworking nada mais é que trabalho em conjunto, ou seja, vários empreendedores, freelas, autônomos e empresários trabalhando em um mesmo espaço. O conceito do coworking é simplesmente algo que me impressiona e agrada. Pessoas diferentes de áreas diferentes com trabalhos diferentes, é algo que um dia todos precisam experimentar, afinal o “think outside the box” nunca foi tão importante em qualquer área de atuação e nada melhor do que “sit outside the box” para isso. O coworking veio para resolver uma crise de acomodação de idéias e ao mesmo tempo uma abertura para os novos profissionais que querem criar sua marca. Não tem como negar que o coworking traz para o mercado de trabalho a nostalgia do que a web 2.0 fez para a internet.

Hoje existem pelo mundo diversas empresas que são coworking uma é a Coworkutah que fica no estado americano de Utah, entre Nevada e Colorado, lógicamente. No Brasil também existem empresas que fornecem esse conceito que são o Ptodecontato Ptodecontato e a TheHub, ambas em São Paulo. A thehub tem um foco mais empresarial, buscando novas idéias para grandes empresas enquanto a ptodecontato o nome já diz tudo, é um ponto para contatos com diversas pessoas de diversas áreas. Vale a pena conferir e buscar conhecer melhor o que poderá ser o futuro dos escritórios convencionais.


Statusfera, sua reputação nunca foi tão importante.

27/04/2009

Statusfera

Quem já imaginou que sua reputação na internet um dia iria valer verbas gigantescas? Bom, sabemos que reputação é algo muito importante, sempre foi, quem mais tem, melhor. Isso vem de longa data, mesmo na internet. Se eu for voltar a história antiga, qualquer um sabe que os grandes líderes, todos eles, tinham uma grande reputaçao, sendo boa ou má, mas que facilitou diversas ações deles em vários momentos. E se for analisar em espaços menores, até mesmo no seu círculo de relacionamentos, cada pessoa tem uma “fama” ou conhecido por alguma habilidade em especial ou alguma história que marcou, que nada mais é a reputação. Mas isso nunca foi usado por marcas ou empresas, certo? Bom isso é uma meia verdade, pois em pesquisas de coolhunters ou trendhunters aos perfis mais “populares” sempre foram alvos das pesquisas de mercado, e diversos produtos foram focados a eles, pois assim, isso era uma garantia maior de aceitação, afinal um usa, o líder, os demais irão usar também.

Com a vinda das mídias sociais, orkut com os amigos, blogs com comentários, twitter com seus follows e blip com seus props, isso hoje representa o quanto você é bom de reputação, e hoje em dia isso é a nova esperança de vários meios de comunicação como o jornalismo e a publicidade e até mesmo areas como o marketing. Não que a agora nomeada “statusfera” seja algo novo, pois não é, o que realmente é novo é a importância dele para os fins comerciais. O que podemos considerar praticamente um depoimento testemunhal versão junto com um boca-a-boca, ambos 2.0. Para quem não sabe, ações de depoimento testemunhal é uma estratégia da publicidade que se utiliza da imagem de uma personalidade, celebridade, para associar a imagem de seu produto, assim as pessoas que se identificam com a celebridade em questão, teóricamente passa a gostar mais do produto e a se identificar melhor com ele. Pois bem, a “statusfera” é praticamente o mesmo conceito, boa reputação + um produto = boa divulgação. Claro que a fórmula não é tão simples e exata como eu coloco aqui, mas o básico é isso. Porem se você procurar no google, ja foram lançadas dicas de como não usar sua empresa em mídias sociais, especialmente twitter. Por exemplo, você deve saber usar a ferramenta de forma que se encaixe no conceito da rede, e não simplesmente criar o nome de sua empresa e começar com os famosos SPAMs, pois eles serão fácilmente bloqueados.

Em resumo a statusfera é um conceito não tão novo, porem o seu uso está sendo algo novo ao meu ponto de vista, o que antes era para demonstrar apenas o poder de ser popular, com a vinda das mídias sociais, muito antes do twitter, agora surge também o poder de se influenciar as pessoas, não apenas no meio publicitário, como no meio jornalístico. Se for olhar bem, é uma boa oportunidade para quem está começando, principalmente no jornalismo, usar esse novo olhar sobre as reputações na internet e correr atrás de sua audiência sem sair de casa.

Mas muito alem disso, a boa reputação é interessante fora da internet também, e hoje em dia não existe limites para conseguir isso, pois nunca algo intangível foi tão díficil e valioso de se conquistar e de se manter, nisso surge outro conceito que já foi moda, conscientização ambiental, no qual as empresas focavam tudo para salvar a terra e o meio ambiente. Bom, chegou a vez do outdoor, ou melhor, os eco-outdoor fabricados pelo WePower que produz energia limpa, no qual eles captam o vento e transforma em energia. Os números é o que assustam, no bom sentido, se os 500 mil outdoores dos EUA tiverem instalados essa técnologia e girassem a 15 quilômetros a hora em média por ano iriam gerar energia para cerca de 1,5 milhões de lares. O que isso mostra? Que o impacto da boa reputação somada com a necessidade de ter uma boa reputação é igual a criações que por mais comerciais que sejam, podem ser alcançadas por mídias convencionais de forma que fizesse diferença, e isso é apenas uma forma de fazer.

Sendo assim utilizar a boa reputação e se antecipar nesse movimento pela “boa imagem” perante os demais e ser amado, ou pelo menos ouvido, por aqueles que tem mais amigos ou qualquer moeda que seja da mídia social em questão é uma boa oportunidade surgindo para quem ainda não teve, e mostrar realmente o potêncial que tem.

Consulta: http://updateordie.com/updates/geral/2009/04/statusfera-o-proximo-passo-das-midias-sociais/


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.