Estamos chegando a era da internet

Você usa?

Você usa?

Se você concorda com o título deste post tome cuidado. Saiba que você está atrasado. Mas não se preocupe, pois com a internet, hoje em dia, mesmo que você ainda não saiba o que é um mp3, ftp, twitter e msn garanto que uma semana de navegação já terá contato com boa parte dessas coisas. Lembro que a uns três anos atrás em uma das palestras que estive presente, não lembro exatamente quem era o palestrante, mas lembro o que estava sendo falado. Era sobre a grande novidade, mobile marketing e o uso deste meio como forma de alcançar nosso público de forma com maior impacto e penetração. Ser direto e pessoal. E junto disso estávamos entrando na era da internet, no qual, deixava der ser apenas uma ferramenta de lazer e começava a ter peso diferente. Mas lembro muito bem que já a três anos atrás, o palestrando alertou “Não estamos entrando na era da internet, já entramos e a muito tempo, quem não percebeu isso vai ficar para trás”.

Eu concordei com ele naquele dia, e já sabia disso a muito tempo, como tantos outros jovens da minha geração, sabíamos que a internet é muito mais bate-papo e pesquisas para trabalho. Tanto é, que lembro que muitos usavam a internet como ferramenta de promoção de portifólios e tudo mais. Assim sendo chego ao ponto que eu quero abordar aqui. Se ha três anos atrás, já estávamos na era da internet, onde estamos agora? E é isso que pretendo responder.

Para isso coletei alguns links que usarei como ilustrações ao que digo.

A era pós “era internet”.

Como todos já sabem, a internet existe a muitos anos e já passou por diversas transformações. Aumento de velocidade, aumento de área, aumento de preço e aumento de importância. Por exemplo os blogs, que começaram timidamente com coisas pequenas, como um diário online das pessoas – nada demais. Até que de um tempo pra cá esses blogs começaram a ficar mais complexos e ganhando conteúdo, fãs e credibilidade, chegando ao ponto de incomodar até certos jornais. Mas não apenas os blogs, mas também várias outras ferramentas que estão na internet afetaram as vidas de todos e de tudo. Hoje chegamos ao ponto em que as pessoas preferem buscar informações sobre produtos ou opiniões (onde?) na internet.

Mas isso não fica por ai. Não podemos esquecer as redes sociais, como o velho orkut, os irmãos do meio facebook e myspace e o caçula twitter. Nunca ocorreu uma facilidade de conectividade entre as pessoas como hoje, mas a frente volto a falar sobre nossa situação nesse quesito. As redes sociais nos colocaram perto de pessoas que achavamos que nunca iriamos ver novamente e ao mesmo tempo conhecer novas pessoas, assim quebrando barreiras geográficas e temporais. Sem contar que a onda do momento é análisar o candidato pelo perfil dessas redes sociais, como já foram feitas algumas matérias ensinando como evitar gafes na hora de ter seu perfil.

Por último e não menos importante, a utilização da internet como fidelização e prospecção de consumidores pelas empresas. Existem inúmeros cases de ações web que vimos e iremos ver das empresas usando esse meio para se promover ou promover seus produtos; entenda-se também bandas, atores e qualquer pessoa que necessite disso, ou seja, todos. Um post recente no updateordie fala bem sobre isso. Hoje confiamos na internet para efetuar boas compras, independente se o produto for uma casa ou um novo sabor de bolacha. Podemos falar com outras pessoas que compraram e pedir suas opiniões, saber se estão satisfeitas, o que mudariam ou qualquer coisa que nos faça sentir mais seguros para comprar. As empresas devem saber como participar e usar essas informações que são de grande valor para assim usar ao seu favor para ai transformarem em algo positivo. Podemos ver que as empresas hoje, se não olham para internet com maior cuidado, podem simplesmente não existir. Agora botamos nosso querido país em xeque. E aí? E o Brasil?

Bom, nosso querido país avançou muito em relação a internet. Em muitos lugares hoje temos acesso  a rede. Tanto é que saiu um estudo feito pelo Deloitte que afirma: os brasileiros preferem a web à TV. Nisso já podemos ver o quanto estamos na era da internet; sim, a tempos. Estamos vivendo em um nível de progresso altíssimo, que deixa a internet como algo tão poderoso pelo seu acesso, sem restrições e sem julgamentos. O entretenimento que a internet oferece é algo sem limites e quem acessa vai até onde quer chegar. Ou seja, na maioria das vezes quem vai até a empresa ou o produto é o próprio consumidor, enquanto a empresa fica parada em seu “www” esperando a nobre visita do consumidor. E não só com a internet no computador, mas também com a nova técnologia de internet para o celular, o amigão 3g. Claro que para isso existem técnicas que facilitam o processo e isso é um prato cheio para quem quer vender algo, certo? Mas apesar de tudo isso nosso país ainda está longe dessa modernidade. O WEF lançou uma lista, diga de passagem, muito importante para termos a noção do mundo, mostrando os países com maior conectividade, e ficamos em 59ª lugar. É, nada muito animador pra mim. Isso mostrar que aqui exploramos pouquíssimo o potencial da web, mesmo que sejamos um dos países que ficam mais tempo online. Muito disso é por vezes a descredibilidade que muitos ainda depositam na internet, pelo fato dela ter esse acesso fácil por qualquer um, mas ai que eu me pergunto. Não é aí que está a riqueza da internet? A facilidade e possibilidade de qualquer um em qualquer lugar falar sobre, quase, qualquer coisa. Eu acredito que sim, pois muitos tem seu único acesso ao mundo por alí, e a única forma de ter uma voz ativa é pela web. Claro que devemos ter bom senso e filtrar essas informações, pois nem tudo é maravilhoso e verdadeiro fora da internet.

O nosso Brasil, mesmo tendo uma baixa classificação na lista do WEF também tem coisas seu lado bom. Estamos indo para um caminho em que a banda larga é algo que já se tornou comum nas casas dos internautas, e o que isso quer dizer? Simples, praticamente uma folha em branco esperando que grandes idéias surgam e usem esse potencial. Tanto é que em números os interneautas representam um número significativo, o Ibope apontou cerca de 43 milhões de internautas, e com certeza isso é maior que qualquer ponto de Ibope na TV. Não é a toa que vemos que muitos jornais, programas e rádios disponibilizem sua programação na web. Se hoje você quiser rever uma reportagem ou ver se existe alguma falando sobre algum tema, fácilmente você a encontra, isso em grandes portais. Mais uma razão para perceber o quanto a internet é mais do que bate-papo e coisas do gênero. Porem, como eu disse anteriormente, infelizmente a web em quesito de uso, a favor de promover as empresas, é algo que ainda não está tão próximo, mas isso não é simplesmente culpa delas. Junto disso as agências de publicidade também não estão colaborando para o processo. Você consegue contar nos dedos quantas realmente usam a internet como uma potencial mídia, ou como uma mídia importante dentro da campanha. A IBM lançou uma pesquisa mostrando que as agências realmente não estão conseguindo entender o consudimor digital, e isso é um problema que daqui um tempo não poderemos dar o luxo de manter, afinal nosso futuro, ou melhor, nosso presente já está todo aqui.

***Abrindo um parentêses, mostrando o quanto a internet anda crescendo e revolucionando, mas a um tempo um site chamado onlive tem uma promessa bem interessante sobre o mundo dos games. Você jogar qualquer jogo em qualquer lugar em qualquer hora. Exatamente, você não precisara ficar tendo que atualizar seu video game a cada mes ou buscando comprar o mais novo jogo. A proposta é bem interessante. Quem se interessar acesse: www.onlive.com. O site ainda não está com seu serviço em funcionamento, mas espero que em breve comece.

Anúncios

2 Responses to Estamos chegando a era da internet

  1. Viva a web-cola-net.
    O engraçado é como ela aproxima nós de quem está tão longe, e deixa a gente tão longe de quem está tão próximo. Eu sou muito mais amiga de uma fotógrafa canadense do que do meu vizinho? Um absurdo não!?
    – Que nada. Apenas humano. Duvida? Se pergunte se não somos recíprocos aos queridos moradores do residencial ai (bairro ou afim)!? Haha.

    Viva a web.
    Alias, vou agora escrever um post no meu blog sobre a web. Valeu a dica irmão.

    Abraços.

  2. Ana Carolina disse:

    Descobri que tenho uma mente “atualizada” ! =)
    Mas lembrando que no Brasil, até pode ser considerada num alto nivel, mas quem tem acesso nao chega á 4,5% da população. É extremamante restrito, infelizmente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: