Axe in the Dark

09/09/2009

Axe in the Dark
A axe do Japão lançou um site que trabalha com aspectos dos filmes de terror com aventura e claro com um desodorante sempre presente e ajudando a salvar o dia. Tudo isso ocorre em um abiente no cinema e junto dele os filmes que estão em cartaz definem como a sua aventura irá se desencadear. Sinceramente, gosto de ações que envolvam esses elementos de interação e ao mesmo o produto em um ambiente fora do seu habitual, pois isso quebra um pouco da rotina o que facilita uma abordagem diferenciada.

Naveguem pelo site e se aventurem com o Axe in the Dark


Efeito dominó. Um record mundial.

03/08/2009

O efeito

Hoje em dia fica complicado para você fazer anúncios que chamem atenção do público e isso não é nenhuma novidade. Existem inúmeras ferramentas e inúmeros públicos com inúmeras mensagens. Para quem tem muita grana, tanto na publicidade como na vida, as coisas ficam digamos, mais fáceis de se conquistar ou até mesmo de gerenciar.

Mas o que acontece quando o seu recurso não está lá essas coisas e ao mesmo tempo seu cliente vende um produto que o apelo exija algo realmente convincente? A criatividade reina. É o caso desse comercial da Bensons for Beds feito por Wand de Londres, uma pequena agência independente que não tinha seu destaque pelo mundo até ter a idéia de bater o record mundial de dominó humano. E claro, ao mesmo tempo anunciar o cliente.

Caso queira ler algo mais sobre: Notícia

Caso queira conhecer a agência: http://www.wandagency.com/


Statusfera, sua reputação nunca foi tão importante.

27/04/2009

Statusfera

Quem já imaginou que sua reputação na internet um dia iria valer verbas gigantescas? Bom, sabemos que reputação é algo muito importante, sempre foi, quem mais tem, melhor. Isso vem de longa data, mesmo na internet. Se eu for voltar a história antiga, qualquer um sabe que os grandes líderes, todos eles, tinham uma grande reputaçao, sendo boa ou má, mas que facilitou diversas ações deles em vários momentos. E se for analisar em espaços menores, até mesmo no seu círculo de relacionamentos, cada pessoa tem uma “fama” ou conhecido por alguma habilidade em especial ou alguma história que marcou, que nada mais é a reputação. Mas isso nunca foi usado por marcas ou empresas, certo? Bom isso é uma meia verdade, pois em pesquisas de coolhunters ou trendhunters aos perfis mais “populares” sempre foram alvos das pesquisas de mercado, e diversos produtos foram focados a eles, pois assim, isso era uma garantia maior de aceitação, afinal um usa, o líder, os demais irão usar também.

Com a vinda das mídias sociais, orkut com os amigos, blogs com comentários, twitter com seus follows e blip com seus props, isso hoje representa o quanto você é bom de reputação, e hoje em dia isso é a nova esperança de vários meios de comunicação como o jornalismo e a publicidade e até mesmo areas como o marketing. Não que a agora nomeada “statusfera” seja algo novo, pois não é, o que realmente é novo é a importância dele para os fins comerciais. O que podemos considerar praticamente um depoimento testemunhal versão junto com um boca-a-boca, ambos 2.0. Para quem não sabe, ações de depoimento testemunhal é uma estratégia da publicidade que se utiliza da imagem de uma personalidade, celebridade, para associar a imagem de seu produto, assim as pessoas que se identificam com a celebridade em questão, teóricamente passa a gostar mais do produto e a se identificar melhor com ele. Pois bem, a “statusfera” é praticamente o mesmo conceito, boa reputação + um produto = boa divulgação. Claro que a fórmula não é tão simples e exata como eu coloco aqui, mas o básico é isso. Porem se você procurar no google, ja foram lançadas dicas de como não usar sua empresa em mídias sociais, especialmente twitter. Por exemplo, você deve saber usar a ferramenta de forma que se encaixe no conceito da rede, e não simplesmente criar o nome de sua empresa e começar com os famosos SPAMs, pois eles serão fácilmente bloqueados.

Em resumo a statusfera é um conceito não tão novo, porem o seu uso está sendo algo novo ao meu ponto de vista, o que antes era para demonstrar apenas o poder de ser popular, com a vinda das mídias sociais, muito antes do twitter, agora surge também o poder de se influenciar as pessoas, não apenas no meio publicitário, como no meio jornalístico. Se for olhar bem, é uma boa oportunidade para quem está começando, principalmente no jornalismo, usar esse novo olhar sobre as reputações na internet e correr atrás de sua audiência sem sair de casa.

Mas muito alem disso, a boa reputação é interessante fora da internet também, e hoje em dia não existe limites para conseguir isso, pois nunca algo intangível foi tão díficil e valioso de se conquistar e de se manter, nisso surge outro conceito que já foi moda, conscientização ambiental, no qual as empresas focavam tudo para salvar a terra e o meio ambiente. Bom, chegou a vez do outdoor, ou melhor, os eco-outdoor fabricados pelo WePower que produz energia limpa, no qual eles captam o vento e transforma em energia. Os números é o que assustam, no bom sentido, se os 500 mil outdoores dos EUA tiverem instalados essa técnologia e girassem a 15 quilômetros a hora em média por ano iriam gerar energia para cerca de 1,5 milhões de lares. O que isso mostra? Que o impacto da boa reputação somada com a necessidade de ter uma boa reputação é igual a criações que por mais comerciais que sejam, podem ser alcançadas por mídias convencionais de forma que fizesse diferença, e isso é apenas uma forma de fazer.

Sendo assim utilizar a boa reputação e se antecipar nesse movimento pela “boa imagem” perante os demais e ser amado, ou pelo menos ouvido, por aqueles que tem mais amigos ou qualquer moeda que seja da mídia social em questão é uma boa oportunidade surgindo para quem ainda não teve, e mostrar realmente o potêncial que tem.

Consulta: http://updateordie.com/updates/geral/2009/04/statusfera-o-proximo-passo-das-midias-sociais/


Estamos chegando a era da internet

30/03/2009

Você usa?

Você usa?

Se você concorda com o título deste post tome cuidado. Saiba que você está atrasado. Mas não se preocupe, pois com a internet, hoje em dia, mesmo que você ainda não saiba o que é um mp3, ftp, twitter e msn garanto que uma semana de navegação já terá contato com boa parte dessas coisas. Lembro que a uns três anos atrás em uma das palestras que estive presente, não lembro exatamente quem era o palestrante, mas lembro o que estava sendo falado. Era sobre a grande novidade, mobile marketing e o uso deste meio como forma de alcançar nosso público de forma com maior impacto e penetração. Ser direto e pessoal. E junto disso estávamos entrando na era da internet, no qual, deixava der ser apenas uma ferramenta de lazer e começava a ter peso diferente. Mas lembro muito bem que já a três anos atrás, o palestrando alertou “Não estamos entrando na era da internet, já entramos e a muito tempo, quem não percebeu isso vai ficar para trás”.

Eu concordei com ele naquele dia, e já sabia disso a muito tempo, como tantos outros jovens da minha geração, sabíamos que a internet é muito mais bate-papo e pesquisas para trabalho. Tanto é, que lembro que muitos usavam a internet como ferramenta de promoção de portifólios e tudo mais. Assim sendo chego ao ponto que eu quero abordar aqui. Se ha três anos atrás, já estávamos na era da internet, onde estamos agora? E é isso que pretendo responder.

Para isso coletei alguns links que usarei como ilustrações ao que digo.

A era pós “era internet”.

Como todos já sabem, a internet existe a muitos anos e já passou por diversas transformações. Aumento de velocidade, aumento de área, aumento de preço e aumento de importância. Por exemplo os blogs, que começaram timidamente com coisas pequenas, como um diário online das pessoas – nada demais. Até que de um tempo pra cá esses blogs começaram a ficar mais complexos e ganhando conteúdo, fãs e credibilidade, chegando ao ponto de incomodar até certos jornais. Mas não apenas os blogs, mas também várias outras ferramentas que estão na internet afetaram as vidas de todos e de tudo. Hoje chegamos ao ponto em que as pessoas preferem buscar informações sobre produtos ou opiniões (onde?) na internet.

Mas isso não fica por ai. Não podemos esquecer as redes sociais, como o velho orkut, os irmãos do meio facebook e myspace e o caçula twitter. Nunca ocorreu uma facilidade de conectividade entre as pessoas como hoje, mas a frente volto a falar sobre nossa situação nesse quesito. As redes sociais nos colocaram perto de pessoas que achavamos que nunca iriamos ver novamente e ao mesmo tempo conhecer novas pessoas, assim quebrando barreiras geográficas e temporais. Sem contar que a onda do momento é análisar o candidato pelo perfil dessas redes sociais, como já foram feitas algumas matérias ensinando como evitar gafes na hora de ter seu perfil.

Por último e não menos importante, a utilização da internet como fidelização e prospecção de consumidores pelas empresas. Existem inúmeros cases de ações web que vimos e iremos ver das empresas usando esse meio para se promover ou promover seus produtos; entenda-se também bandas, atores e qualquer pessoa que necessite disso, ou seja, todos. Um post recente no updateordie fala bem sobre isso. Hoje confiamos na internet para efetuar boas compras, independente se o produto for uma casa ou um novo sabor de bolacha. Podemos falar com outras pessoas que compraram e pedir suas opiniões, saber se estão satisfeitas, o que mudariam ou qualquer coisa que nos faça sentir mais seguros para comprar. As empresas devem saber como participar e usar essas informações que são de grande valor para assim usar ao seu favor para ai transformarem em algo positivo. Podemos ver que as empresas hoje, se não olham para internet com maior cuidado, podem simplesmente não existir. Agora botamos nosso querido país em xeque. E aí? E o Brasil?

Bom, nosso querido país avançou muito em relação a internet. Em muitos lugares hoje temos acesso  a rede. Tanto é que saiu um estudo feito pelo Deloitte que afirma: os brasileiros preferem a web à TV. Nisso já podemos ver o quanto estamos na era da internet; sim, a tempos. Estamos vivendo em um nível de progresso altíssimo, que deixa a internet como algo tão poderoso pelo seu acesso, sem restrições e sem julgamentos. O entretenimento que a internet oferece é algo sem limites e quem acessa vai até onde quer chegar. Ou seja, na maioria das vezes quem vai até a empresa ou o produto é o próprio consumidor, enquanto a empresa fica parada em seu “www” esperando a nobre visita do consumidor. E não só com a internet no computador, mas também com a nova técnologia de internet para o celular, o amigão 3g. Claro que para isso existem técnicas que facilitam o processo e isso é um prato cheio para quem quer vender algo, certo? Mas apesar de tudo isso nosso país ainda está longe dessa modernidade. O WEF lançou uma lista, diga de passagem, muito importante para termos a noção do mundo, mostrando os países com maior conectividade, e ficamos em 59ª lugar. É, nada muito animador pra mim. Isso mostrar que aqui exploramos pouquíssimo o potencial da web, mesmo que sejamos um dos países que ficam mais tempo online. Muito disso é por vezes a descredibilidade que muitos ainda depositam na internet, pelo fato dela ter esse acesso fácil por qualquer um, mas ai que eu me pergunto. Não é aí que está a riqueza da internet? A facilidade e possibilidade de qualquer um em qualquer lugar falar sobre, quase, qualquer coisa. Eu acredito que sim, pois muitos tem seu único acesso ao mundo por alí, e a única forma de ter uma voz ativa é pela web. Claro que devemos ter bom senso e filtrar essas informações, pois nem tudo é maravilhoso e verdadeiro fora da internet.

O nosso Brasil, mesmo tendo uma baixa classificação na lista do WEF também tem coisas seu lado bom. Estamos indo para um caminho em que a banda larga é algo que já se tornou comum nas casas dos internautas, e o que isso quer dizer? Simples, praticamente uma folha em branco esperando que grandes idéias surgam e usem esse potencial. Tanto é que em números os interneautas representam um número significativo, o Ibope apontou cerca de 43 milhões de internautas, e com certeza isso é maior que qualquer ponto de Ibope na TV. Não é a toa que vemos que muitos jornais, programas e rádios disponibilizem sua programação na web. Se hoje você quiser rever uma reportagem ou ver se existe alguma falando sobre algum tema, fácilmente você a encontra, isso em grandes portais. Mais uma razão para perceber o quanto a internet é mais do que bate-papo e coisas do gênero. Porem, como eu disse anteriormente, infelizmente a web em quesito de uso, a favor de promover as empresas, é algo que ainda não está tão próximo, mas isso não é simplesmente culpa delas. Junto disso as agências de publicidade também não estão colaborando para o processo. Você consegue contar nos dedos quantas realmente usam a internet como uma potencial mídia, ou como uma mídia importante dentro da campanha. A IBM lançou uma pesquisa mostrando que as agências realmente não estão conseguindo entender o consudimor digital, e isso é um problema que daqui um tempo não poderemos dar o luxo de manter, afinal nosso futuro, ou melhor, nosso presente já está todo aqui.

***Abrindo um parentêses, mostrando o quanto a internet anda crescendo e revolucionando, mas a um tempo um site chamado onlive tem uma promessa bem interessante sobre o mundo dos games. Você jogar qualquer jogo em qualquer lugar em qualquer hora. Exatamente, você não precisara ficar tendo que atualizar seu video game a cada mes ou buscando comprar o mais novo jogo. A proposta é bem interessante. Quem se interessar acesse: www.onlive.com. O site ainda não está com seu serviço em funcionamento, mas espero que em breve comece.